quarta-feira, 26 de setembro de 2007

México, tão longe de Deus e tão perto dos EUA

É, pobres mexicanos, já dizia minha professora de história. Adorava a frase "tão longe de Deus tão perto dos EUA". Claro que era uma marxista que não entende nada de economia, com o perdão do pleonasmo.
O NAFTA teve início em 1994. De 1995 (exclui-se 1994 devido ao crescimento negativo do México*) até 2004 o PIB per capita mexicano cresceu 20,67%, contra os 3,46% da década anterior. O Brasil cresceu cerca de 3,5% de 1995 a 2003. O que tu preferes: 20 ou 3? Eu fico com 20, mas tem louco pra tudo.
Será mesmo válida a frase do título? Creio que não. Sorte mexicana de estar tão próximo dos EUA.
Foda-se Deus, eu quero os EUA!

*crise do México

5 comentários:

Natália disse...

Ainda acho que preferir 20 a 3 é algo puramente matemático e inconcebível na ótica das relações internacionais. Como disse, tem louco pra tudo.

Marcelo B.N disse...

Ainda bem que faço economia e vejo as coisas na ótica da economia.
Enfim...
As pessoas da Cingapura(3ºpaís mais rico do mundo) vivem hoje certamente muito melhor do que viveram seus avós em 1960 (mais pobre que o Brasil).
Crescimento importa! :)

Gustavo Ferreira disse...

Mas os numeros não apresenta a verdade que acontece no México.

*grande parte da população vive abaixo da "linha" da pobreza

* o homem mais rico do mundo, ou ex rico...sei la...um desses virado ... para a lua

*extermínio da população indígena desde a epoca da reforma agraria

enfim...

Dante disse...

O coitado aqui é só você... essa frase não é de professores de história.. ela se refere à região que os EUA 'roubaram' do méxico.. Se você estudar as 13 colônias vai entender o tão pequeno terreno dos puritanos refugiados da Inglaterra... E Pergunta pros EUA por que o bloco NAFTA não permite a livre circulação de cidadãos assim como o bloco da União européia? é bom pensar nessas coisas e entender que os EUA não são flor que se cheire. Vá estudar, amigo. Vá!!!

DiGo DIA 3 disse...

Meu querido, faço um atual artigo sobre a economia mexicana, impactos da instalação das indústrias maquiladoras nos quesitos sociais e econômicos do país. Acho que só um leigo pode fazer uma afirmação dessas. Números sem contexto, são apenas números. A economia mexicana cresceu nessa grandeza por causa do aumento das exportações das maquiladoras, estas quais não repassam apenas míseros 20% para o mercado interno. Vê-se uma economia governada de forma irresponsável e dependente dos EUA. Em qualquer eventual crise em que os EUA resolverem cortar custos e aproveitarem da mão0de-obra chinesa que é mais eficiente e barata que a mexicana, o Estado do México entra em colapso. Além da exploração que os EUA faz, seja com a economia, seja com os trabalhadores , seja com a degradação do meio-ambiente visando apenas a maximização de lucros, o desrespeito da sleis trabalhistas e direitos humanos, eles não estão "nem ai" para a situação do México. O México é um país subdesenvolvido, que lançou-se nessa onda de livre-comércio e não se protegeu de intervencionismos americanos visando apenas o interesse DELES(EUA). O Brasil poderia ter entrado nessa degradação de sua economia mas preferiu a não-acetação da forma de neo-imperialismo americano chamada ALCA. Eu espero que tu continues com esse senso crítica mas de uma forma mais estudada da situação e não apenas pegar um dado e interpretar como quiser. Essas coisas são bem perigosas no mundo econômico. Eu faço RI e como um cientista político, me assusta esses pensamentos puramente capitalistas quando não sabem msm o que é os EUA. Eu amo essa frase "México, tão longe de Deus tão perto dos EUA". Acho que realmente caiu bem ao caso.